NOSSO TEMPO

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

PROJETO DE LEI QUER MUDAR ECA...PARA PUNIR ALUNOS

Projeto de lei quer mudar ECA para punir aluno por desrespeito ao professor

Da Agência Câmara de Notícias
Projeto que está sendo analisado na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados inclui no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) um artigo que obriga os alunos a observarem os códigos de ética e conduta da escola onde estão matriculados e "respeitar a autoridade intelectual e moral de seus docentes". Em caso de descumprimento, os alunos nessa faixa etária estarão sujeitos a suspensão e, "na hipótese de reincidência grave, ao seu encaminhamento a autoridade judiciária competente".
A proposta (PL 267/11) foi tema de audiência pública na última terça-feira (29), com a participação de diversos setores ligados à educação.

Questão mais ampla

Para a representante do Conselho Nacional dos Trabalhadores em Educação, Claudir Sales, alterar o ECA (Lei 8.069/90) não vai resolver o problema de violência que atinge alunos e professores diariamente. "Eu não acredito que colocando um artigo penalizando a criança e o adolescente no estatuto vai resolver", ressaltou.
Segundo ela, a diminuição dos índices de violência é uma questão mais ampla, que depende do fortalecimento do sistema educacional. "Para resolver tem que ter realmente uma política de Estado, uma educação pública com qualidade, uma valorização dos profissionais da educação".
Também a coordenadora geral das Redes Públicas da Secretaria de Educação Básica do MEC, Clélia Mara dos Santos, afirmou que "se não houver uma construção dentro da escola, envolvendo os alunos, os professores e a comunidade, não há legislação que resolva o problema da violência". Ela destacou que a gestão democrática precisa ser fortalecida nas escolas antes de qualquer alteração no ECA.

Regras claras

Já o diretor da Confederação Nacional dos Estabelecimentos de Ensino, João Luiz Cesarino, afirmou que as escolas precisam de respaldo legal para poder controlar a ação violenta de alunos. João Luiz espera da alteração na legislação "o estabelecimento de direitos e deveres claros e a conscientização das partes envolvidas." A entidade representa as escolas privadas.

Você viu?

  • Efigênia Ferreira/Arquivo Pessoal Dois "paraguais", sexo e palavrão: Relembre polêmicas com materiais usados nas escolas
  • André Schiriló/Divulgação Conheça histórias de famosos que já sofreram bullying
  • Reprodução Filmes, séries e novelas: conheça 35 professores da ficção
A relatora da proposta na Comissão de Educação, deputada Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO), diz que é preciso estabelecer na escola um diálogo entre professores e alunos capaz de superar os problemas que existem atualmente. "Nós precisamos regulamentar e tratar de maneira bastante madura a organização do espaço escolar com suas regras, com seus combinados, com seus acertos", disse a deputada.
A deputada entende que "o fato de eu estabelecer regras, necessariamente eu não estou estabelecendo punição. Mas também não entendo que a gente pode fazer de conta que o problema não existe; o problema existe", ressaltou ela.
O auditor fiscal do Trabalho, do Departamento de Segurança e Saúde do Trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego, Jefferson Seidler, informou que não existe nenhuma estatística no Brasil que quantifique a ligação entre a violência e a saúde dos professores. Ele lembrou que o departamento cuida dos trabalhadores celetistas, que representam na educação 25 por cento dos profissionais – os restantes são servidores públicos.

Tramitação

A proposta, que tramita em caráter conclusivo, já foi aprovada na Comissão de Seguridade Social e Família e está atualmente na Comissão de Educação. Em seguida, vai ser analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Veja casos de violência na escola - 9 vídeos

 

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

EVENTO CULTURAL EM GPX: SOCORRO...MEU MARIDO VIROU A MÃO

 
Venha prestigiar a Hilariante Comédia: “SOCORRO, MEU MARIDO VIROU A MÃO”, neste sábado na Secretaria de Cultura.
Retirar o convite na Secretaria (Alameda Silva,497 – Centro – Espaço do Saber)
Venha e traga toda a família para RIR MUITO!
ASSIM GPX
MTB 58003/SP

PROFESSORES DE GPX RECEBEM QUALIFICAÇÃO DO SISTEMA POSITIVO DE ENSINO

ESCOLA PARQUE DAS NAÇÕES REALIZA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO SISTEMA DE ENSINO POSITIVO
A Escola Parque das Nações realizou nesta sexta-feira (25/10), na própria unidade, a formação de professores do Sistema Positivo de Ensino (S.P.E). O sistema é adotado por escolas de todo o Brasil. O S.P.E é constantemente atualizado por um centro de pesquisas próprio, no qual especialistas analisam vivências de sala de aula e pesquisam ferramentas de ensino que ampliem o aprendizado. Os resultados desse trabalho compõem os livros didáticos, os softwares educativos e o Portal Educacional. Os professores realizaram atividades com jogos, histórias em quadrinhos nas disciplinas de História, Língua Portuguesa e Geografia.

A formação aconteceu nos períodos da manhã das 8h às 12h, tarde das 13h às 17h e a noite das 17h30min às 20h30 min. Todos os professores participaram das atividades. De acordo com Paula Leonardo, Diretora da EMEF Martha Ferreira da Cruz “o material didático Positivo contribui para o processo de aprendizagem e ensino, apresentando características próprias na exposição dos conteúdos, de forma a inserir o aluno no contexto social e político em que vivemos”.
A capacitação faz parte do cronograma escolar da Secretaria de Educação.
 
ASSim GPX

ALUNAS DE VOLEYBOL DE GPX SÃO AGRACIADAS COM ENTREGA DE UNIFORMES

 
"O Projeto de Voley Saque Cada Jogada" que foi idealizado pelo ex alteta e professor André ( in memorian) e implantado em Gavião Peixoto não ficou esquecido. No início deste ano o poder público contratou o ex atleta Balú, para dar continuidade ao Projeto.
 
E assim deu-se início a formação de uma escolinha, com dois dias de treinos semanais no Ginásio Vida Luz. E no intuito de que esta modalidade possa ter um futuro  mesclando  inclusão social através do esporte, o professor Balú buscou apoio na iniciativa privada, e conseguiu 40 uniformes para alunos da escolinha junto a World Game, estes entregues na tarde de hoje. E estiveram presentes o diretor de esportes Marcelo Prando, professor de Voley Balú e do prefeito Gustavo Piccolo. Segundo o chefe do executivo o uniforme dá uma INDENTIDADE maior para esta modalidade.
 
E sempre fica o agradecimento de todos engajados neste esporte ao apoio desta marca tão conceituada no esporte regional. Os alunos da escolinha de voleybol vão estar indo no Poliesportivo Castelo Branco 'O Gigantão' para assistirem um jogo da Liga Nacional entre Uniara/Afav versus São Caetano. A idéia é que este ato junto com a entrega do uniforme possa incentivar ainda mais quem hoje treina como o interesse de novos adpetos a este esporte...que tão bem está sendo difundido na cidade.



 

terça-feira, 29 de outubro de 2013

CONFRONTO RIO-SÃO PAULO NA ARENA DA FONTE




Por Carlos André de Souza
A presidente da Morada do Sol Eventos e Turismo, Eneida Miranda de Toledo, confirmou nesta terça-feira a realização do jogo entre Corinthians e Fluminense, que será válido pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro de Futebol. A partida será realizada no dia 10 de novembro, às 19h30, na Arena Fonte Luminosa, em Araraquara.
“Hoje fomos contatados pelo Corinthians para confirmar o interesse em fazer o jogo contra o Fluminense em Araraquara. Foi com muita alegria recebemos essa notícia. Mais uma vez pesou a organização, pois foi tudo tranquilo. O público foi grande, com segurança, e o nosso gramado fez toda a diferença”, explicou a administradora do estádio.
Ela comemorou o sucesso do clássico do último domingo, que foi realizado na Fonte Luminosa, ocasião em que o estádio foi muito elogiado pelas equipes e meios de comunicação de todo o estado. “Nossa maior temeridade era a questão de segurança, visto que tivemos problema com um jogo do Palmeiras no ano passado, mas vamos aprendendo. Fizemos uma parceria muito boa com o policiamento local e com os órgãos da prefeitura, trânsito, guarda municipal, CTA e Secretaria de Saúde. Foi uma somatória de esforços. O que fica para nós desse clássico é o esforço conjunto em que todas as estruturas da cidade se juntam e o resultado é esse: um evento tranquilo para trazer distração e alegria para todos que lá compareceram”, completou Eneida.
São Paulo quase certo
Uma notícia que veio à tona nesta terça-feira dá conta de dois jogos do São Paulo realizados em Araraquara. As partidas (contra o Botafogo no dia 24 de novembro e Coritiba no dia 8 de dezembro) ainda não foram confirmadas oficialmente na cidade, mas Eneida garante que as negociações estão muito adiantadas. “Estamos há mais de uma semana em contato com o São Paulo. Acho que o jogo de domingo foi uma vitrine muito positiva e hoje saiu esse comentário vindo do próprio clube. Isso nos enche esperança para trazer o São Paulo e quem sabe a despedida de Rogério Ceni no último jogo. Qualquer que seja o jogo será interessante para nós e será muito bom para o comércio e a economia da cidade. Eventos como esse fazem a diferença para o comerciante”, concluiu.

Imagens

ACIDENTE PRÓXIMO AO TREVO DA EMBRAER...


Um idoso de 68 anos ficou ferido em um acidente na Rodovia Nelson Barbieri, que liga Araraquara a Gavião Peixoto, próximo à Embraer, na manhã desta terça-feira (29).

Segundo a PM, o motorista de um caminhão carregado com ração bateu seu veículo de frente com a caminhonete da vítima, que trabalha como produtor rural.

A equipe do Corpo de Bombeiros realizou o resgate e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) levou o idoso até a Santa casa de Araraquara. O motorista do caminhão, um jovem de 22 anos, disse contornava a rotatória no momento do acidente. Ele e o companheiro que também estava no carro não se feriram.

Imagens


sábado, 26 de outubro de 2013

DIGNIDADE ULTRAJADA: SER PROFESSOR DO ENSINO PÚBLICO NOS DIAS ATUAIS

O que tem exaurido, desgastado e adoecido os professores são as péssimas condições de trabalho
"Não é o conhecimento que é perigoso, mas sim a ignorância."
François Jacob - Prêmio Nobel de Medicina
simone-benedettiA má formação dos alunos do ensino superior é fruto natural da má formação dos professores de educação básica? Por que muitos cursos da área de educação estão sendo fechados por falta de alunos? As abordagens pedagógicas precisam ser mudadas em função da evolução tecnológica?
Sem fazer muito esforço de raciocínio, é fácil perceber que se a educação básica for boa, os alunos que chegarem a universidades estarão bem mais preparados para assimilar novos conceitos em suas respectivas especialidades.

A professora Kátia Simone Benedetti, professora da rede municipal de ensino, especialista em psicopedagogia e mestre em Educação Musical, é autora do livro "A Dignidade Ultrajada: ser professor do ensino público nos dias atuais" (veja a sinopse do livro neste link). A professora fala sobre os diversos aspectos da Educação nesta entrevista exclusiva ao Portal ProfessorNews.
ProfessorNews A geração atual de professores, com certeza, lembra de seus professores da época da adolescência, com muito carinho e respeito, principalmente das "professoras". Em sua opinião, quando os adolescentes de hoje forem adultos lembrarão de seus professores com carinho e respeito, se hoje já não se vê muito respeito com os professores?
Kátia Simone Benedetti É provável que muitos dos alunos continuem se lembrando de seus professores, alguns com o mesmo carinho e saudade (e seus professores, deles). Contudo, acredito que esse número tende a ser menor atualmente, uma vez que, em grande parte das escolas brasileiras, os professores não têm mais conseguido exercer sua profissão com dignidade e dedicação, o que contribui para o distanciamento entre professores e alunos.
A realidade educacional brasileira, composta por fatores como: desvalorização docente junto à sociedade; desmantelamento da escola pública; paradigmas teórico-educacionais que desautorizam o professor a ensinar e retiram do aluno a responsabilidade por seu aprendizado; má educação e falta de perspectivas de formação pessoal e intelectual das novas gerações (incluindo o menor interesse dos jovens por aprender e se apropriar dos conhecimentos oferecidos pela educação formal), tem contribuído para que os vínculos entre professores e alunos se diluam cada vez mais. As atuais condições de trabalho docente têm feito com que até os professores mais devotados sintam-se desmotivados e até acuados diante dos novos desafios interpessoais que as salas de aula oferecem.
Então, por um lado encontramos cada vez menos alunos dedicados, que compreendem o trabalho dos professores, que valorizam e respeitam esse trabalho. Esses alunos indiferentes à escola (acho que, atualmente, a maioria...) certamente não se darão ao trabalho de guardar na memória seus professores, principalmente porque, para eles, a escola é apenas um ambiente de interação social entre seus pares e não um ambiente de estudo e aprendizado com seus professores. Por outro lado, cada vez menos encontramos nas bases da educação nacional professores bem formados e motivados, capazes ou dispostos a ensinar com dedicação e afinco, a ponto de se tornarem inesquecíveis para seus alunos.
No livro "A Dignidade Ultrajada: ser professor de ensino público nos dias atuais", de sua autoria, a senhora diz que as abordagens teórico-educacionais utilizadas na educação brasileira nas últimas décadas são somente idealistas e ineficientes, contribuindo para descaracterizar a função social da escola e desvalorizar os profissionais de ensino. O que precisa ser feito para reverter essa situação?
De um lado, é necessário que o país crie um sistema eficiente de avaliação dos cursos de licenciatura. Não é possível que haja professores excelentes se os cursos de licenciatura pipocam pelo país, abertos e organizados apenas pelo critério do lucro e não da qualidade.
Por outro lado, os cursos de licenciatura deveriam incluir disciplinas relacionadas à divulgação de conhecimento científico nas áreas das Neurociências, Psicologia Evolutiva e Antropologia Darwinista. Isso traria à educação uma nova compreensão do ser humano e de sua natureza comportamental. Em relação aos estudos do cérebro, é necessário mais aprofundamento, uma vez que muitos resultados de pesquisas nessa área, divulgados pela imprensa não especializada, dão margem à criação de obras superficiais, que visam o lucro imediato ao oferecer receitas, modelos de autoajuda e novos “métodos de ensino” que, apenar de bonitos, são idealistas e inaplicáveis.
Uma vez que as licenciaturas formam docentes e estes são os profissionais que trabalham diretamente com grupos, com comportamento e aprendizado humanos, é necessário que se comprometam com estudos científicos do comportamento humano, com estudos atuais e fundamentados em pesquisas sérias e não em opiniões e achismos de um ou outro autor. Não é mais possível que os cursos de Pedagogia, por exemplo, permaneçam fundamentados em teorias desenvolvimentais dos séculos XIX e XX. Esse tipo de atualização deveria ser também obrigatório aos professores efetivos, por meio das formações continuadas. Professores precisam estar atualizados sempre, em suas áreas e nas áreas relacionadas ao comportamento humano. É com isso que lidamos diariamente.
No que se refere ao passo em direção à Ciência e ao pensamento científico nas licenciaturas, isso só será possível se os próprios teóricos e acadêmicos da área educacional forem capazes de ultrapassar suas próprias abordagens teóricas de natureza apenas social. Há uma cultura de que na Educação cabem apenas as abordagens das ciências sociais. Existe, inclusive, muita crítica em relação ao Método Científico e ao pensamento científico por parte dos teóricos educacionais. Há teorias sobre aprendizado humano que rejeitam o método científico, tachando-o de “cartesiano”, “fragmentado”, “reducionista”, “não-criativo”, “frio”, “não-contextualizador”. Para mim, isso é um grande equívoco que precisa ser superado. Trata-se de uma crítica de quem desconhece, em profundidade, a maneira científica de pensar.
A Ciência busca compreender a realidade em sua totalidade, em suas relações, em seu funcionamento. É um erro crasso achar que a redução do objeto de estudo corresponde à redução ou fragmentação de situações ou indivíduos. Não é porque a Ciência delimita seu objeto de estudo que deixa de compreendê-lo em sua inteireza. Não é porque se abordam as bases biológicas e evolutivas do comportamento humano que se olha o ser humano de maneira “fria”, indiferente ou preconceituosa. Pelo contrário! Quantos e quantos preconceitos têm sido banidos devido à luz da Ciência? Esse tipo de constatação simplista, aliás, é bem típico da incapacidade de se exercitar realmente o pensamento científico.
A educação não pode permanecer um território de profissionais pouco informados, desatualizados e limitados intelectualmente. Precisamos conhecer e fazer Ciência! Afinal, a Ciência avança sempre. Apesar de suas limitações e de seus erros, é o pensamento científico que trouxe a humanidade ao patamar de desenvolvimento tecnológico em que ela se encontra hoje.
Os professores universitários têm constatado que, cada vez mais, os alunos chegam ao nível superior de ensino com graves deficiências de matemática e português, sem falar de outras disciplinas básicas dos ensinos fundamental e médio. Isso é fruto da educação básica deficiente ou pode ser culpa da geração internet?
Não acho que a internet influi de maneira tão negativa assim na formação das novas gerações. Pelo contrário. Ela tornou o conhecimento muito mais acessível e atualizado. Ela é uma ferramenta maravilhosa, cujo uso eficiente precisa ser aprendido e explorado pelos alunos e professores.
Para mim, a deficiência de conhecimentos básicos dos atuais alunos é resultado da situação em que o ensino público fundamental foi lançado. Trata-se de uma situação complexa e que envolve vários fatores que agem simultaneamente, se autoalimentando.
Em primeiro lugar, cito as teorias educacionais (sobre comportamento e aprendizado) dos séculos passados, que são idealistas e não fundamentadas cientificamente. Essas teorias deram margem à implantação no sistema público de ensino, há pelo menos três décadas, de metodologias “contextualizadoras”, que não permitem mais à escola transmitir conhecimentos, nem ser um local de aprendizado e desenvolvimento intelectual. A escola pública não ensina, ela acolhe e insere. Ela não pode ser “conteudista”, nem “transmitir conhecimentos prontos”. Os professores, por sua vez, foram orientados a evitar as aulas expositivas, a não cobrar empenho do aluno, a não exigir tarefas “mecânicas” de fixação etc. Acredita-se que exigir do aluno concentração e foco nas tarefas é nocivo e antipedagógico. Silêncio, foco, atenção tornaram-se sinônimo da escola opressora, castradora.
Na alfabetização, o reconhecimento das palavras passou a ser feito a partir do “contexto do texto”. A formação das palavras e sua ortografia ficaram à mercê desse contexto. Resultado: alunos que não sabem nem o significado e muito menos a ortografia das palavras. Aqui vemos o raciocínio simplista dos teóricos educacionais: tomar as letras, juntá-las para formar as sílabas e juntar essas últimas para formar as palavras é algo “fragmentador” que retira do aluno a capacidade de compreender a palavra em seu contexto! Se o aluno aprende espontaneamente a linguagem oral, deve aprender dessa forma também a linguagem escrita... O aprendizado deve acontecer de forma contextualizada e criativa. Atividades do ensino tradicional que exigem atenção focada e maior concentração do aluno foram consideradas inadequadas, por serem “mecânicas” e sem sentido... Ensinar gramática e análise sintática? Não. Devemos priorizar a compreensão dos diversos gêneros textuais. Tudo no contexto... Nada de foco, de fragmentação.
Implantou-se também no ensino público a ideia de que as aulas expositivas não são as melhores porque o ser humano é “mais visual que auditivo”. Esse pressuposto excluiu, por tabela, milhões de anos de evolução que nos fizeram o único primata a ter uma linguagem oral altamente desenvolvida. Nossos cérebros simplesmente nascem prontos para falar e ouvir outro ser humano falando! E para aprender dessa forma! Boas aulas expositivas ainda são uma das melhores estratégias de ensino. Por outro lado, apesar dessa exigência de diminuição das aulas expositivas (professor, seja criativo com seus métodos, evite aulas expositivas diante do quadro negro), a maioria das escolas públicas jamais deu algum tipo de condição aos professores para que dessem aulas diversificadas. Com quais materiais? Em qual espaço físico? Com que instrumentos ou recursos?!
Há ainda os pressupostos de que a baixa autoestima da reprovação era um dos maiores causadores do desinteresse escolar, do excesso de faltas e da evasão. Assim, implantaram-se as políticas de aprovação automática, do Bolsa-família e de cobrança de resultados apenas da escola e dos docentes (exames municipais e nacionais). Alunos e pais foram (e são) poupados ao máximo dessa cobrança. Isso retirou a responsabilidade pessoal dos alunos (e de suas famílias) por seu próprio aprendizado. Eles sabem que não precisam se esforçar. Sabem que não há consequências.
Dessa forma, uma trajetória de permissividade e de falta de responsabilidade pelo próprio processo de formação educacional resultou em gerações mal formadas, despreparadas e que não se sentem responsáveis por si mesmas. Esperam sempre que alguém resolva seus dilemas e desafios intelectuais, como os que a universidade ou o mercado de trabalho lhes impõem, por exemplo. São frutos do ensino “contextualizado”, frutos que não sabem nem contextualizar conhecimentos, nem buscá-los, nem identificá-los e muito menos produzi-los ou focar neles sua atenção.
Por fim, a municipalização do ensino tornou a educação uma parte das ações politiqueiras voltadas para a eleição ou reeleição de prefeitos e secretários municipais. Por sua vez, as escolas tornaram-se locais de perseguição aos que não seguem a cartilha da política local. O aprendizado é o último que conta. O que importa são os cargos de confiança e os números, os “resultados”, ainda que camuflados. Os cursos de formação continuada de professores, congressos e simpósios municipais de educação acontecem mais pautados na visibilidade que oferecem às administrações municipais, nas conveniências e vantagens que trazem aos envolvidos (universidades e gestores públicos), em vez de focar em sua real qualidade. Consequência: geralmente são rejeitados pelos professores, pois seus conteúdos não se aplicam à realidade cotidiana das escolas. Limitam-se a ser o desfilamento de teorias, discursos e resultados de pesquisas acadêmicas que, no fundo, desconhecem a realidade cotidiana das salas de aula do ensino básico.
Portanto, é quase incompreensível que os acadêmicos da Educação permaneçam afirmando que a escola é uma instituição social ultrapassada, que funciona nos moldes do século XIX, que precisa ser “reinventada” para se adequar ao mundo moderno. Afirmar isso é fácil. Difícil é mostrar como concretizar essa “reinvenção”. Não é possível que esses profissionais que “pensam” a educação continuem a afirmar que é de responsabilidade dos professores e de outros agentes escolares – por sua própria conta, esforço e risco – “reinventar” a escola pública! Professores e outros profissionais de dentro da escola são os agentes mais frágeis, subalternos e menos autônomos da grande estrutura que é o sistema público de ensino. Como esperar que eles consigam “transformar” a escola pública? Eles realmente têm condições de fazer essa revolução? Ou essa tal de “reinvenção da escola” precisaria ser um esforço conjunto de vários segmentos da sociedade, incluindo os próprios acadêmicos, legisladores e políticos?
Por falar em internet, a forma de memorizar mudou bastante nos últimos anos (ver a matéria Memória na era Google), tanto para os professores como para os alunos, como consequência da evolução tecnológica. Esse fator influenciou a "falta de base" dos alunos ou seria uma fase natural da evolução humana?
Como professora que está diariamente em sala de aula, vejo que a internet tem menos relação com o mau desempenho dos alunos do que gostamos de crer. Para mim, o mau desempenho é uma questão mais cultural que intelectual. Relaciona-se às fragilidades e deficiência do ensino público e ao comportamento descompromissado dos alunos e pais em relação ao aprendizado e à aquisição de conhecimento.
Falta aos alunos brasileiros a consciência de que estudar e aprender são coisas realmente importantes para a vida futura. Falta muito a vontade de ler e de se apropriar de novos conhecimentos. Falta a cultura nacional da valorização do conhecimento. Falta o hábito de se concentrar nas tarefas escolares, de manter o foco nelas, de parar para pensar a respeito e tentar fazer da melhor forma. Falta o hábito diário ou semanal de estudar em casa. Conseguir que façam as tarefas e lições de casa é um desafio tremendo. Os alunos brasileiros têm ido à escola apenas para brincar, zoar e se divertir com seus colegas. Eles não sabem mais se concentrar. Não têm aprendido essa habilidade. Não a possuem em seu repertório de comportamentos. Pra ser sincera, acho que eles estão perdendo até o “hábito” de assistir às aulas... Para a maioria (não para todos, é claro), só a interação social e o consumo interessa, dentro ou fora da escola. O resto é resto. Esse é o grande problema.
A internet, portanto, tem mais relação com a falta de tempo e disponibilidade dos alunos para os estudos escolares (quando eles só querem ficar online no Face, por exemplo), ao invés de com sua maneira de aprender e memorizar conteúdos. Aliás, contarmos hoje com a internet é um fator que deveria melhorar nosso desempenho escolar e não o contrário. Isso se as novas gerações mantivessem o hábito de estudar e ler. Se, por um lado, a maneira como memorizamos as informações tem mudado com as novas tecnologias (passando dos conteúdos para as fontes), por outro, quando nos debruçamos sobre um assunto, a fim de compreendê-lo, de apreendê-lo, nossa memória funciona da mesma maneira. As ferramentas da internet só acrescentam mais dados ao nosso trabalho intelectual. Nesse sentido, certos conteúdos e práticas escolares (leitura e estudo concentrado, realização de tarefas de fixação de conteúdos, por exemplo) sempre serão básicos, fundamentais, no sentido de serem imprescindíveis para nos desenvolvermos intelectualmente. Apesar das tecnologias, nosso cérebro é o mesmo de há milhares de anos atrás e aprende praticamente da mesma maneira.
A baixa remuneração da carreira docente em todos os níveis (veja comentários na matéria Unimontes: 226 vagas de professor) contribui para a má formação dos professores. Mas não podemos ficar chorando as mágoas; precisamos agir. Na situação atual do Brasil, o que a senhora pode sugerir para motivar os futuros professores?
Acredito que um dos menores problemas da categoria docente no Brasil seja o salário. Não que ele não seja um fator muito importante ou que o professor deva trabalhar apenas “por amor”. Não. Contudo, o que tem exaurido, desgastado e adoecido os professores são as péssimas condições de trabalho. Falta de infraestrutura e desvalorização. Ouvem-se bem menos casos de professores que desistem da profissão porque são mal remunerados. Mas ouvimos diariamente notícias de abandono da docência devido ao desgaste emocional, físico, devido à agressão, ao desrespeito, à humilhação, ao aviltamento da dignidade humana. Isso tem sido o grande desafio da docência. Muito mais que o salário.
Por outro lado, se os discursos políticos-educacionais pregam que professores devem ser profissionais excelentes, motivados, dedicados e amorosos. É necessário, então, que, além de um salário condizente com essas exigências, as escolas e políticas públicas ofereçam a infraestrutura física, tecnológica, didática e legislativa necessárias para que o professor dê o melhor de si.
Então, de um lado, as teorias comportamentais e de aprendizado precisam ser revistas à luz dos novos estudos da Ciência. Por outro, o sistema público de ensino precisa rever toda sua estrutura, desde o sistema de municipalização; a remuneração dos docentes, a disponibilidade de carga horária cumprida em sala de aula e em planejamento dentro da escola junto com outros profissionais; a avaliação de alunos, docentes e gestores; formação continuada de professores, criação de projetos especiais extracurriculares (arte-educação).
O que o ensino básico precisa é de qualidade e de seriedade. Infraestrutura física, tecnológica e humana de primeiro mundo. Salários de primeiro mundo. Conhecimento e atualização profissional de primeiro mundo. Nem politicagem, nem resultados camuflados, nem permissividade em relação aos alunos, pois isso é abandonar as novas gerações (e o país todo, por tabela...) à sua própria sorte.
Por fim, parece-me que a tremenda falta de seriedade – uma questão cultural tipicamente brasileira – escancarada nas condições de funcionamento do ensino público, bem como em diversas outras esferas da vida pública do país, tem ensinado aos jovens que, neste país, não é o esforço pessoal e a dedicação aos estudos que garantem sucesso na vida. Pode ser bem ao contrário... Qual professor já não ouviu de algum aluno: “Estudar pra quê? Pra ser professor como você?! Quero não!”

JORNAL DA CIDADE O IMPRESSO EM VERSÃO ON LINE


 


sexta-feira, 25 de outubro de 2013

GAVIÃO É CONTEMPLADO COM UM ÔNIBUS DO PROGRAMA CAMINHO DA ESCOLA

 
O Programa Caminho da Escola foi criado em 2007 com o objetivo de renovar a frota de veículos escolares, garantir segurança e qualidade ao transporte dos estudantes e contribuir para a redução da evasão escolar, ampliando, por meio do transporte diário, o acesso e a permanência na escola dos estudantes matriculados na educação básica da zona rural das redes estaduais e municipais. O programa também visa à padronização dos veículos de transporte escolar, à redução dos preços dos veículos e ao aumento da transparência nessas aquisições.
 
Gavião foi contemplado esta semana com este Programa...o que dará sem dúvida uma maior qualidade ao transporte dos alunos, que diariamente precisam se locomover até as escolas do município."Este ônibus foi uma doação do Governo Federal, saiu pelo FNDE, foi por intermédio do deputado Arlindo Chinaglia, isso é fruto da 1ª viagem que o prefeito fez a Brasilia". (Setor de Obras e Transportes)
GEDC1261.JPG
motorista Luisinho, vice prefeito João e Marcelo diretor de transporte

 

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

VEM AI O BAILE DO HAWAI DE GAVIÃO PEIXOTO!!!

SECRETARIA DE OBRAS DE GAVIÃO RESPONDE SOBRE QUEIXA DE MORADOR



Na tarde do dia 27 de setembro fomos procurados pelo cidadão Valderi Chimanski que nos trouxe uma queixa e indignação. Ele vai todos os dias ao trabalho na zona rural para cuidar de uma horta e passa pela Alameda Piccolo com destino à Rodovia Vicinal Antônio Gulla Júnior. Há mais de um ano não se conforma com a água correndo a céu aberto (fotos) na esquina próximo ao Restaurante Dotti. Ele já procurou o setor de obras, tanto na gestão passada quanto nesta, e disse que até agora seu pedido não foi atendido. O local acumula até poça trazendo riscos de doenças e prejudica a camada asfáltica.

Podem muitos pensarem: o que tenho a ver com isso? Sim, muito bem, eu que lido com horta sei muito bem o valor deste bem precioso e finito que chamamos água. Aqui temos muita, mas até quando não sabemos, portanto preservar seria uma atitude mais racional”, disse-nos Valderi.


Entramos em contato com o setor de obras via e-mail e obtivemos a seguinte resposta:

“O problema realmente acontece e no local onde está sendo mencionado já foram feitos reparos três vezes este ano, agora com o grande fluxo de caminhões passando pelo local se formos abrir para o reparo da forma que se tem que abrir não teremos uma saída para qual possamos encaminhar o trânsito. Sabemos que o vazamento ocorre no local pela tubulação da rede de abastecimento que ainda é, na parte central da cidade, em sua maioria composta por canos de ferro, que é uma das preocupações de nossa administração e um dos principais motivos do gasto cego que temos de água em nossa cidade. O reparo no local será feito sim, mas no momento certo que cause menos transtorno e problemas para todos os usuários da via local.”

terça-feira, 22 de outubro de 2013

VEREADOR MÁRIO SÉRGIO AFIRMA: PREFEITO DEU SUA PALAVRA SOBRE CONSTRUÇÃO DA PISTA DE SKATE

Devido a inúmeras cobranças e perguntas a respeito da construção da pista de skate, venho aqui acalmar aos ânimos da família skateboarding GPX e dizer que o Prefeito mais uma vez deu sua palavra e reafirma que a pista será construída até o final do ano, sendo assim falta pouco para o tão sonhado #partiuroledeskate #pistaGpx. Esta é uma conquista dos jovens que lutaram para realização desse sonho.
Agradeço ao prefeito Gustavo que atendeu ao pedido dos jovens atletas e dá um passo a frente no fortalecimento do esporte em Gavião Peixoto.
MEU POVO, SEUS ANSEIOS, SÃO MEUS ANSEIOS, SUAS QUEIXAS, SÃO MINHAS QUEIXAS, SUAS DUVIDAS, SÃO MINHAS DUVIDAS, PEÇO QUE CONTINUEM  VINDO ATÉ MIM PARA PEDIR MELHORIAS NOS SERVIÇOS PÚBICOS, DENUNCIAR, RECLAMAR...  ESTAREI SEMPRE DISPOSTO A TORNAR GAVIÃO PEIXOTO UMA CIDADE CADA VEZ MELHOR PARA SE VIVER. CONTO COM VOCÊS!
#MaisPertodoPovo
·       "Devido a inúmeras cobranças e perguntas a respeito da construção da pista de skate, venho aqui acalmar aos ânimos da família skateboarding GPX e dizer que o Prefeito mais uma vez deu sua palavra e reafirma que a pista será construída até o final do ano, sendo assim falta pouco para o tão sonhado 'SONHO' real. Esta é uma conquista dos jovens que lutaram para realização desse sonho.
Agradeço ao prefeito Gustavo que atendeu ao pedido dos jovens atletas e dá um passo a frente no fortalecimento do esporte em Gavião Peixoto."

“MEU POVO, SEUS ANSEIOS, SÃO MEUS ANSEIOS, SUAS QUEIXAS, SÃO MINHAS QUEIXAS, SUAS DUVIDAS, SÃO MINHAS DUVIDAS, PEÇO QUE CONTINUEM VINDO ATÉ MIM PARA PEDIR MELHORIAS NOS SERVIÇOS PÚBICOS, DENUNCIAR, RECLAMAR... ESTAREI SEMPRE DISPOSTO A TORNAR GAVIÃO PEIXOTO UMA CIDADE CADA VEZ MELHOR PARA SE VIVER. CONTO COM VOCÊS!” (Mário Sérgio).
 

 

JOGOS ABERTOS DO INTERIOR...CIDINHO REPRESENTANDO A CIDADE FOLCLORE


 
Quantas vezes o esporte de Santo Antônio da Alegria se fez representado. Com brilhantes participações e conquistas, estas no futebol, futsal, atletismo, natação...entre outras. E aqui algumas imagens do alegriense Cidinho que este mês representou o esporte da cidade nos Jogos Abertos em Mogi das Cruzes. Isso depois de ganhar medalhas nos Regionais em Araraquara. Desta vez não vieram as coqnuistas...mais a certeza que a pequena Cidade Folclore...mais uma vez foi ali pelo atleta PCD lembrada...exaltada. Ele competiu no Ibirapuera...sempre com toda torcida do professor Abílio.
 
"MEUS AMIGOS EU NÃO CONSEGUI MEDALHAS NOS JOGOS ABERTOS DE MOGI DAS CRUZES, MAS TIVE UMA BOA COLOCAÇÃO: 6º LUGAR - LANÇAMENTO DE DARDO; 5º LUGAR - NO ARREMESSO DE PESO; 4º LUGAR - ARREMESSO DO DISCO. ISTO A NIVEL DE ESTADO DE S. PAULO, MAS SÓ DE CLASSIFICAR PARA OS JOGOS ABERTOS PARA MIM FOI MUITO IMPORTANTE, POIS SOU O UNICO ATLETA DA CIDADE A CONSEGUIR CLASSIFICAR POR DUAS VEZES PARA OS JOGOS ABERTOS, (2011 E 2013)." (Cidinho)
 

EM GAVIÃO A CULTURA VOANDO MUITO MAIS ALTO!

PROGRAMAÇÃO CULTURAL, IMPERDÍVEL!!!
 
A Secretaria Municipal de Cultura de Gavião Peixoto apresenta neste sábado às 15h,
um bate papo descontraído para os apaixonados pelo teatro! Será realizado um Workshop.
às 20h, gratuitamente, no anfiteatro do Espaço do Saber, através do projeto TEATRANDO, o espetáculo “IT”!
Venha conferir mais essa linda e brilhante apresentação! Traga os baixinhos, os amigos e convide à todos....
ASSIM GPX
MTB 58003/SP
 

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

MOSTRA DE TEATRO FOI SUCESSO ABSOLUTO

SECRETARIA DE CULTURA REALIZA I MOSTRA DE TEATRO INFANTIL

A Secretaria Municipal de Cultura promoveu durante a semana das crianças, nos dias 08, 09, 10, 11 e 12/10 a I Mostra de
Teatro Infantil de Gavião Peixoto. O evento é inédito nos 16 anos do município. A semana foi recheada de atrações para o público infantil, principalmente para as crianças das Escolas Municipais e Estadual, que participaram dos espetáculos durante os dias da mostra teatral. No dia 08/10 as crianças assistiram a peça “Cinderela e o Pé Inchado”, com sessões às 10hs, às14 e 19hs, dia 09/10, “Dom Caixote e o Bode”, dia 10, o espetáculo de circo “Uah-Tchá!,
Fragmentos Palhacísticos em 3 atos”, dia 11, a reapresentação da peça “Cinderela e o Pé Inchado” e para fechar com chave de ouro,
no dia das crianças, os presentes assistiram a peça “Pintores de Sonhos”. As crianças se encantaram com as histórias, com os figurinos, os cenários, a luzes e a magia do teatro e interagiram com os artistas, que em algum momento das peças selecionavam um baixinho para participar do espetáculo.
A Secretaria de Cultura recebeu em seu anfiteatro, no Espaço do Saber, a presença de mais de 730 pequenos espectadores durante os 5 dias das apresentações. Além disso, promoveu também no sábado anterior, uma sessão de cinema
do projeto “Cinecidade Kids” onde exibiu às 17h, também no anfiteatro da Secretaria, o filme “O Grilo Feliz”.
As crianças que participaram dos projetos receberam, gratuitamente, durante o projeto Cinecidade e a Mostra de Teatro, distribuição de pipoca, realizadas pelos servidores da Secretaria. Os baixinhos se encantaram com tantas atrações e puderam aproveitar muito esse mês que pela iniciativa da Secretaria de Cultura, apoio da prefeitura municipal, das escolas e demais setores da prefeitura,
puderam promover um trabalho voltado especialmente a elas.
Segundo o Dirigente Cultural, Sérgio Silva, “nossa intenção foi para o município, proporcionando um contato direto com o teatro infantil profissional, sem sair de Gavião Peixoto. A mostra foi um sucesso e com o apoio do pessoal da Educação, atingiu a seus
objetivos".
A secretaria de cultura volta com as suas atividades após o Gavião Rodeo Festival, no dia 26/10, às 20h, com o espetáculo teatral
IT, diretamente de São Paulo. Venha participar.
ASSIM GPX
MTB 58003/SP
 

PREFEITURA DISTRIBUI BRINQUEDOS E REALIZA FESTAS PARA AS CRIANÇAS

 

PREFEITURA DISTRIBUI BRINQUEDOS E REALIZA FESTA
PARA AS CRIANÇAS


A PREFEITURA MUNICIPAL DE GAVIÃO PEIXOTO, EM PARCERIA COM O FUNDO SOCIAL DE SOLIDARIEDADE, REALIZARAM NESTA SEXTA-FEIRA (11/10), A ENTREGA DE MAIS DE 800 BRINQUEDOS, EM COMEMORAÇÃO AO DIA DASCRIANÇAS. A ENTREGA FOI FEITA NAS ESCOLAS CONSELHEIRO GAVIÃOPEIXOTO, EMEF MARTHA FERREIRA DA CRUZ E NO BERÇÁRIO MÁRIO COVAS.

AS CENTENAS DE BRINQUEDOS FORAM ENTREGUES PARA OS ALUNOS, AO LONGO DO DIA, NO PERÍODO DE AULA DOS ESTUDANTES. ESTIVERAM REALIZANDO A DISTRIBUIÇÃO DE BOLAS, CARRINHOs E BONECAS A PRESIDENTE DO FUNDO SOCIAL DULCELINA MARTINS PICCOLO (Dona Tica), O PREFEITO GUSTAVO PICCOLO E O VICE JOÃO
ALCIDES.
 





O prefeito, Gustavo Piccolo, falou sobre a importância dessa iniciativa, “enquanto que para
alguns uma boneca ou um carrinho não tem muito significado, para muitos é o significado de alegria. Um único brinquedo, por mais simples que seja, pode fazer muitas crianças sorrirem neste dia tão especial” disse.
Além da entrega dos brinquedos, a Prefeitura de Gavião Peixoto promoveu ainda dia diferente, com a festa em comemoração ao Dia das Crianças, no último dia 12/10. O evento, que teve início às 14h e  ocorreu durante toda à tarde, foi realizado no Ginásio Osvaldo Fratucci e recebeu mais de 1000 crianças, com toda estrutura para alegrar os baixinhos. Os pequenos puderam se divertir com brinquedos que foram expostos dentro do
ginásio, como a cama elástica, tobogã, palhaço, pintura, escultura em bexiga entre outros. A criançada também recebeu pipoca, picolé, cachorro-quente, algodão doce e suco, todos fornecidos pela prefeitura gratuitamente e ainda puderam dar uma volta de "tremzão"
pela Cidade das Asas.


ASSIM GPX
MTB 58003/SP


 

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

GOVERNO DE SP ANTECIPA FÉRIAS DEVIDO A COPA DO MUNDO

18/10/2013-03h00

Governo de SP antecipa férias de meio do ano para coincidir com Copa


FÁBIO TAKAHASHI
DE SÃO PAULO
A Secretaria Estadual da Educação decidiu antecipar as férias de meio de ano de suas escolas em 2014, para que coincidam com o período da Copa do Mundo.
Tradicionalmente marcado para o início do mês de julho, o período de recesso começará em 12 de junho e terminará em 11 de julho.
Cerca de 4,3 milhões de estudantes de São Paulo estão na rede rede estadual.
De acordo com a Secretaria da Educação, a ideia é que a presença dos alunos às aulas não sofra interferência dos jogos.
A medida também pode ajudar na mobilidade na capital paulista, onde estão previstas seis partidas.
O calendário deverá balizar as redes municipais e particular do Estado.
Lei federal chegou a exigir que todas as escolas marcassem as férias de meio de ano para o período da Copa, mas o Ministério da Educação publicou regra que deixa a decisão a cargo dos colégios.
A Secretaria Estadual da Educação definiu ainda que o início das aulas será em 27 de janeiro -tradicionalmente é em 1º de fevereiro.

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

ACIDENTE FATAL EM VICINAL QUE LIGA GAVIÃO E NOVA EUROPA

Jovem de 20 anos morreu após tombar caminhão e veículo ser atingido por bitrem que seguia no sentido contrário; caminhoneiro ficou preso nas ferragens



Um caminhoneiro de 20 anos morreu e outro ficou ferido em um grave acidente na Vicinal Leonardo Cruz, que liga as cidades de Gavião Peixoto e Nova Europa, no início da noite desta quarta-feira (16).

A chuva era intensa no momento do acidente e segundo o Corpo de Bombeiros, um caminhão bitrem seguia no sentido Gavião Peixoto – Nova Europa quando, em uma das curvas da pista, o motorista de um caminhão baú que seguia no sentido contrário e levava uma carga de molho de tomate perdeu o controle da direção, atravessou a pista e tombou. Ele foi atingido pelo bitrem e com o impacto, o motorista do caminhão baú, de 20 anos, morreu na hora, enquanto o outro caminhoneiro ficou gravemente ferido e preso nas ferragens.

A vítima foi socorrida pelos bombeiros e levado à Santa Casa de Araraquara pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A carga ficou espalhada pela pista, que precisou ser interditada após várias pessoas tentarem saquear o caminhão.

Segundo do dia
Na tarde desta quinta, outros dois caminhões também se envolveram em um acidente. A batida aconteceu na Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-255), entre as cidades de Araraquara e Boa Esperança do Sul. O caminhoneiro de 26 anos teria dormido ao volante e ficou preso nas ferragens do veículo.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

GAVIÃO SERÁ CONTEMPLADA COM NOVA CRECHE ESCOLA

Governo do Estado de São Paulo leva mais 76 creches a cidades do interior
Governador assinou convênios convênios para criação de 76 unidades de educação infantil
 
Mais 10 mil crianças terão acesso à educação infantil com a chegada de 76 creches a municípios do interior paulista. As unidades escolares serão construídas por meio do programa Creche-Escola, que firma parcerias com as prefeituras para ampliar o atendimento na educação infantil, prioritariamente em localidades com maior vulnerabilidade social.
Os convênios foram assinados  quinta-feira (10/10), em cerimônia no Palácio dos Bandeirantes. Para participar do programa, as prefeituras devem manifestar interesse junto à Secretaria de Desenvolvimento Social, responsável pela seleção das solicitações. Depois, os municípios deverão celebrar convênio com a Secretaria da Educação.
Com investimento total de R$ 120 milhões, os municípios beneficiados serão Adolfo; Caraguatatuba; Jaci; Pompeia; Aguaí; Cardoso; Jahu; Pontes Gestal; Águas de Santa Bárbara; Catanduva; José Bonifácio; Porangaba; Altinópolis; Charqueada; Jundiaí; Porto Feliz; Alto Alegre; Colina; Macaubal; Quintana; Arandu; Colômbia; Mirante do Paranapanema; Rancharia; Artur Nogueira; Dirce Reis; Monte Alto; Ribeirão Bonito; Assis; Franca; Monte Aprazível; Ribeirão Corrente; Auriflama; Gavião Peixoto; Nova Guataporanga; Rio Claro; Avaí; General Salgado; Ocauçu; Sales; Bady Bassitt; Guareí; Osasco; Salto; Bananal; Ibirarema; Palestina; Santa Cruz da Esperança; Bálsamo; Irapuã; Palmital; Santa Ernestina; Barra Bonita; Itajobi; Parisi; São José do Rio Pardo; Barra do Turvo; Itapira; Paulistânia; São Pedro; Barueri; Itatiba; Paulo de Faria; Serra Azul; Batatais; Ituverava; Pedranópolis; Taciba; Bernardino de Campos; Jaboticabal; Pedro de Toledo; Taiuva; Campina do Monte Alegre; Jacareí; Pirapozinho e Taquaritinga.

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

CRIANÇAS DE GAVIÃO SÃO PRESENTEADAS E FICAM FELIZES COM A HOMENAGEM!

A Prefeitura Municipal através do Fundo Social de Solidariedade, no dia de hoje entrega 750 brinquedos para brindar as crianças pelo dia delas, que será comemorado amanhã. E haverá diversas brincadeiras no Poliesportivo Osvaldão...cachorro quente, suco e sorvetes...com início as 14 horas.
 
Na manhã de hoje, as crianças fizeram a maior festa ao receber os brinquedos das mãos da Presidenta do Fundo Social, Tica e pelo vice João Alcides (PT), e algumas imagens mostram bem toda esta alegria...nas Emeis Mário Covas Júnior e Antônia Cammarosano (Creche). E ainda os alunos da Emef Martha Ferreira da Cruz também receberam, foram entregues: bolas, bonecas e carrinhos. E com certeza sabemos que para muitos deles, este será o único brinquedo, por isso é uma atitude muito louvável...já que não existe nada mais sagrado...que ver o sorriso estampado na face de uma criança!