NOSSO TEMPO

terça-feira, 14 de abril de 2015

DEMISSÕES DE FUNCIONÁRIOS FOI PAUTA PRINCIPAL DA SESSÃO ORDINÁRIA


Resumo do que de mais importante foi focado na Sessão de hoje na Câmara Municipal.
Dos sete projetos em pauta, 3 foram colocados em votação, segundo o presidente Juninho do Goy os demais terão que passar por ajustes para tornarem legais e com isso serem analisados e votados.
Palavra Livre:
Paulo Martins disse possuir provas alicerçadas que o governo municipal tenta de todas as formas jogar a população contra a Câmara (vereadores). E o que mais faz em sua gestão é ter desvio de função, e que ao entrar com pedido na promotoria jamais pedíu que funcionários fossem exonerados e sim que fosse feitas adequações corretas. Disse que em um encontro com o prefeito o mesmo o afirmou que grande parte dos comissionados não fazem nada e ainda por cima fala mal de sua gestão.
Coca
 teceu elogios ao prefeito, e que se não tivesse tido a denúncia as demissões não teriam acontecido. E foi mais enfático ao afirmar, que o atual prefeito é um dos mais honestos que já passou pelo executivo local.
Eduardo Camurre
Questão administrativa compete ao prefeito e não a promotoria. Pedi que ele adequasse cada caso em questão e não demitisse. O prefeito me disse que iria cumprir algo legal. Mas ainda defendo que não precisava chegar a este ponto.
E outro assunto abordado foi sobre um menino que passa por necessidades no bairro de Nova Paulicéia e lhe tem faltado atenção básica de saúde e assistência social. Neste caso Juninho tem dados que comprova a ausência da Fisioterapia para o paciente citado. Camurre disse que se acabou com a assistência básica de saúde, quando o Dr Vilmar foi dispensado, que o Programa Saúde da Família já não funciona com a mesma eficácia.
Diógenses Barsaglini
Citou o grave erro da gestão com o fechamento do postinho em Nova Paulicéia, e disse ter se colocado a disposição para que o local pudesse ser reativado, o bairro em questão de saúde está abandonado. Sobre as demissões: quando o prefeito plantou aos funcionários que a denúncia partiu da Cãmara houve um presciptação por jogar todos num mesmo contexto. Deveria buscar o nome de quem ou quais foram a promotoria e citar com veracidade. E nas demissões deveria ter remanejado, já que o vereador quando cobra está na sua legítima função.
Juninho do Goy
Em cima do que Coca disse, sobre o prefeito ser honesto, o presidente do legislativo colocou, que até pode ter este princípio, mas sua atitude o condiciona a ser um moleque, e disse ter culpa também quem fez a denúncia. Disse que o prefeito sabia que este risco existia, ao deixar um concurso de motorista entre-aberto, mas que outros cargos como: RH, Esporte, Tributos não tinha motivo para tal atitude. faltou algo primordial, uma assessoria jurídica competente, por ter tido prazo para defesa. E falou que no Centralizado tem um cargo com desvio de função que é a esposa do Diretor de Obras Marcelo Gomes. Que tem que parar com esta de deixar 8 milhões em caixa, já que como prega o ditado, caixão não tem gavetas. E aos demitidos presentes Juninho disse que podem contar com ele nesta que agora uma briga que ele vai tomar para sí e assim fazer justiça doa a quem doer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.